Total de visualizações de página

terça-feira, 7 de março de 2017

8 de MARÇO: DIA INTERNACIONAL das MULHERES

8 de MARÇO: DIA INTERNACIONAL DAS MULHERES




DIA INTERNACIONAL DAS MULHERES SERVE PARA:
  1. Relembrar o massacre de 1857 nos EUA;
  2. Criticar o feminicídio e a violência contra mulher na sociedade;
  3. Lutar por igualdade salarial entre homem e mulher;
  4. Lutar contra o machismo da sociedade;
  5. Lutar pelos direitos da mulher na sociedade.
SOBRE O 8 DE MARÇO
“MULHERES EM LUTA” - Nando Poeta

As cento e vinte e nove
 Mulheres da tecelagem
Lutando por seus direitos
Mostrando muita coragem
Morreram carbonizadas
Numa ação muito selvagem.
Foi no século dezenove
O ano cinqüenta e sete
Na famosa Nova York
A qual por dever compete,
Pra todas essas mulheres
Com força jogar confete.
Mulheres em passeata
Queriam melhor salário
 A greve fortalecida
Contra patrão salafrário
Reduzir sua jornada,
Aumenta o tempo diário.
Reunidas lá na fábrica,
Mulheres surpreendidas
Com a tranca dos portões
E de sair, proibidas,
A correria foi grande
Queimadas foram com vidas.
Operárias heroínas
São têxteis na produção,
Sua luta continua
Pra ter direito ao pão,
O seu exemplo de fibra
Faz crescer a união.
Mil novecentos e dez
No país da Dinamarca
Clara Zetkin propõe
Dia oito ter a marca:
Da luta dessas mulheres
Pra não afundar a barca.
É de muita denúncia e luta
Contra  opressão  e machismo
Emancipar quem labuta
Mulheres em movimento
O seu espaço disputa.
Com muita ação e coragem
A mulher sai para a rua
Denunciar,protestar.
É bandeira minha e tua
Lutar por nossos direitos
E não ficar só na sua. (...)


A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NO MUNDO
Na América Latina, uma pesquisa da CEPAL (Comissão Econômica para América Latina e o Caribe) mostra que 40% das mulheres que vivem na região sofrem violência física ou psicológica. A pesquisa ressalta que países como a Colômbia (65,7%) e o Peru (68,2%) superam o índice de 60% de violência psicológica contra as mulheres. A Bolívia (39,7%) e o México (37,7%) também apresentam taxas altas, próximas a 40%.
 
A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER NO BRASIL
1.       A cada 2 minutos cinco mulheres são agredidas;
2.       A cada 4 minutos uma mulher entra no SUS por violência;
3.       Entre os anos de 2001 e 2011, mais de 50 mil mulheres foram assassinadas de forma violenta no Brasil. Isto quer dizer que a cada 1h30, uma mulher foi morta (13 mulheres assassinadas por dia);
4.       Em 2013, foram registrados cerca de 52 mil estupros no país, totalizando mais de cem casos por dia. A cada 11 minutos uma mulher é estuprada no Brasil;
5.       Meninas, garotas e mulheres são também vítimas de violências mais silenciosas como a psicológica, patrimonial ou moral. Além disso, a desigualdade de gênero faz com que as mulheres tenham outros direitos violados como à educação, ao lazer e ao próprio corpo.




DESIGUALDADES SALARIAIS ENTRE HOMENS E MULHERES – Mundo
Segundo dados da ONU, 48% das mulheres de todo o mundo têm um emprego, enquanto entre os homens o índice é de 73%. A região do planeta com a maior desigualdade é o norte da África, onde apenas 18% da população feminina está trabalhando, contra 68% da masculina. A OIT assinala que 53,7% das mulheres estão no mercado de trabalho na América Latina e no Caribe. 
Na Europa, as mulheres ganham por hora 16% a menos em média que os homens e cerca de 31% menos por ano. A proporção de mulheres que trabalham em meio período é quatro vezes superior à dos homens. O motivo é a responsabilidade pelos cuidados dos filhos, dos doentes e a impossibilidade de encontrar ofertas de trabalho em jornada integral.

DESIGUALDADES SALARIAIS ENTRE HOMENS E MULHERES – Brasil
No Brasil, em 1996, o rendimento médio das brasileiras de 585 reais correspondia a 60% do obtido pelos homens que era de 995 reais. Se for considerado o rendimento por hora trabalhado, esse diferencial também persiste. Em 1996, as mulheres recebiam, em média, 3,50 reais por hora e os homens 5 reais.
Num ranking mundial atual que analisou a desigualdade de salários em 142 países: o Brasil ficou entre os últimos colocados: na posição 124.
Os últimos dados do IBGE mostram que as brasileiras ganham, em média, 76% da renda dos homens. E um estudo mundial alerta que essa igualdade tão desejada por nós vai demorar a chegar: só em 2095.
No Brasil, os homens ganham aproximadamente 30% a mais que as mulheres de mesma idade e nível de instrução, quase o dobro da média da região (17,2%), enquanto na Bolívia a diferença é muito pequena. O resultado é o mesmo no que diz respeito à disparidade por raça e etnia, que chega também a 30%.
E quanto maior a escolaridade da mulher, maior é essa diferença. Trabalhadoras com curso superior completo recebem em média 60% da renda dos homens com o mesmo nível.

Legislação Brasileira e Conquistas dos Direitos da Mulher

Teste para saber se você é feminista
1. Você concorda que uma mulher deve receber o mesmo valor que um homem para realizar o mesmo trabalho?
2. Você concorda que mulheres devem ter direito a votarem e serem votadas?
3. Você concorda que mulheres devem ser as únicas responsáveis pela escolha da profissão, e que essa decisão não pode ser imposta pelo Estado, pela escola nem pela família?
4. Você concorda que mulheres devem receber a mesma educação escolar que os homens?
5. Você concorda que cuidar das crianças seja uma obrigação de ambos os pais?
6. Você concorda que mulheres devem ter autonomia para gerir seu dinheiro e seus bens?
7. Você concorda que mulheres devem escolher se, e quando, se tornarão mães?
8. Você concorda que uma mulher não pode sofrer violência física ou psicológica por se recusar a fazer sexo ou a obedecer ao pai ou marido?
9. Você concorda que atividades domésticas são de responsabilidade dos moradores da casa, sejam eles homens ou mulheres?
10. Você concorda que mulheres não podem ser espancadas ou mortas por não quererem continuar em um relacionamento afetivo?
Respondeu sim pra tudo?
Então, você é feminista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário