Total de visualizações de página

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Sobre a Bandeira Brasileira


Longe da bandeira brasileira representar a "riqueza na cor amarela" e as "florestas na cor verde", elas refletem os privilégios das elites monárquicas européias.
Já a cor vermelha das bandeiras dos movimentos sociais e organizações de esquerda representam as lutas populares.
Cada um com a bandeira que lhe convém!

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

MAQUETE das FORMAS de RELEVO

MAQUETE DAS FORMAS DE RELEVO

- PASSO 1 = alunos farão esta atividade das formas de relevo.

1 (Montanhas), 2 (Depressão), 3 (Planalto), 4 (Planície), 5 (Nascente do Rio), 6 (Cachoeira), 7 (Afluente), 8 (Meandros do Rio), 9 (Foz em Delta) e 10 (Foz em Estuário).
Pintar: Marrom-Escuro (as Altas Cadeias de Montanha ou Cordilheiras), Marrom-Claro (Montanhas, Colinas e Monte), Laranja (Planaltos), Verde-Claro (Planície), Verde-Escuro (Depressão) e Azul (Rios, Lago e Oceano).

PASSO 2 = trazer o seguinte material: pistola de cola-quente, 4 placas de isopores, tinta-guache, pincéis, 2 Kls de Gesso (de secagem menos rápida) e material para cortar o isopor (pode ser uma "caneta com clipes pendurado", que será esquentado com fogo em uma vela).

PASSO 3 =  cortar o isopor com a "caneta com clipes pendurado" e ir colando com a pistola de cola quente.

PASSO 4 = colocar gesso sobre a maquete e esperar secar.

PASSO 5 = pintar com tinta-guache e colocar as bandeirinhas identificando.


























Sequência de Aulas sobre RELEVO

- RELEVOS são as formas com que as camadas rochosas assumem na paisagem, retratando a diversidade de formas da superfície terrestre. Caracteriza-se, basicamente, por formas salientes e formas deprimidas, tanto das formas do relevo emerso quanto submerso.
- Os movimentos de Placas Tectônicas podem formar dois dos 4 tipos de relevo: montanhas e depressões.
- Os tipos de relevo são:
PLANÍCIE (originado no processo de sedimentação, localizando-se nas áreas de baixas altitudes, áreas litorâneas e bacias fluviais);
PLANALTO (áreas de altitudes intermediárias de 300m à 2500m, originadas do processo de desgastamento erosivo, geralmente com superfícies de aplainamento);
MONTANHAS (áreas mais elevadas com acima de 2500 metros de altura, originadas dos desdobramentos tectônicos),
DEPRESSÕES (originadas dos desdobramentos tectônicos ou ação erosiva, podendo chegar até 11mil metros de profundidade).
- Estas 4 formas de relevo abrangem grandes áreas e demoram milhares de anos para se formar e para desaparecerem.
- Existem outras formas de relevo, só que mais transitórias: serra, chapadões, morro, colina, etc.


AULAS 14, 15, 16 e 17: MAQUETE DAS FORMAS DE RELEVO
- Realização da maquete das formas de relevo.











AULAS 18 e 19: RELEVOS do BRASIL
- O Brasil possui três relevos: Depressões, Planaltos e Planícies.

- Existem algumas subdivisões do relevo brasileiro: Planaltos Norte-Amazônicos, Depressão Norte-Amazônica, Planície do Rio Amazonas, Depressão da Amazônia Ocidental, Depressão Marginal Sul-Amazônica, Planaltos e Chapadas dos Parecis, Planície do Pantaneira, Planaltos e Chapadas da Bacia do Rio Paraná, Planaltos e Serras do Atlântico, Planalto da Borborema, Planície Costeira e Planaltos da Bacia do Rio Parnaíba.




ATIVIDADE DESCRIÇÃO da PAISAGEM


PARA ALUNOS DE FUND1

ATIVIDADE MAPA sobre Países-Membros da OPEP

TÍTULO: "Os Atuais Membros e os Ex-Membros da OPEP".

[] (Verde Escuro) Atuais Membros da OPEP: Angola (janeiro de 2007), Argélia (julho de 1969), Líbia (dezembro de 1962), Nigéria (julho de 1971), Venezuela (setembro de 1960), Equador (de 1973 até 1992, retornou como membro em dezembro de 2007), Arábia Saudita (setembro de 1960), Emirados Árabes Unidos (novembro de 1967), Irã (setembro de 1960), Iraque (setembro de 1960), Kuwait (setembro de 1960), Catar (dezembro de 1961). 

[] (Verde Claro) Os Ex-Membros da OPEP: Gabão (de 1975 a 1994) e Indonésia (de 1962 a 2009).

SEQUÊNCIA de AULAS: ROCHAS, MINERAIS, MINÉRIOS e PETRÓLEO

AULA 1: PLACA TECTÔNICA, VULCÃO, ROCHAS, MINERAIS e MINÉRIOS
- Superfície Terrestre divida em Placas Tectônicas, que se movimentam facilitada pela Astenosfera. Em cima desta superfície ficam continentes e oceanos.
- Os vulcões se localizam nas falhas de Placas Tectônicas e nas áreas de choque ou separação de Placas Tectônicas.
- Quando a lava vulcânica (Astenosfera) resfria, ela vira rocha e minerais.
- Rocha (latim) e Pedra (grego) significam a mesma coisa = agregado de minerais.
- Minerais = são as partes das rochas, um corpo homogêneo composto por elementos químicos.
- Minérios = são os minerais refinados pelo ser humano para utilização econômica.
- Amostras de minerais.
- As rochas, que se subdividem em 3 tipos:
MAGMÁTICAS ou ÍGNEAS: formadas a partir do resfriamento e da solidificação do magma ou da lava vulcânica. A ígnea intrusiva possui resfriamento lento no interior da Terra (granito). A ígnea extrusiva tem rápido resfriamento na superfície (basalto). Exs: pedra pome, basalto, granito, etc.;
SEDIMENTARES: formadas quando rochas já existentes se fragmentam e seus sedimentos são carregados (transportados pela água, pelo vento ou pelo gelo, da origem até o ponto de deposição) para alguma área onde possam ser novamente compactados ou cimentados, quando se depositam em camadas. Exs: arenito, calcário, argilito, petróleo, etc;
METAMÓRFICAS: são as “rochas mutantes”, formadas através de modificações de temperatura e de pressão em rochas já existentes, provocando uma reação química que altera sua composição ou estrutura original Exs: mármore, ardósia, gnaisse, quartizito, folhelho, etc.
> Trazer Amostras de rochas

AULAS 2 e 3: MINÉRIOS e SOCIEDADE
É necessário diferenciar:
- Recursos Minerais = materiais rochosos que podem ser explorados pelo ser humano.
- Reservas Minerais = parte do recurso mineral identificado e reconhecido pelo seu valor econômico.
- Jazidas Minerais = local aonde está sendo explorado o minério.
- Minérios = são os minerais refinados pelo ser humano para utilização econômica.
- Exemplos de Minérios e sua utilização econômica: hematita e manganês (ferro e aço), grafite (grafite), petróleo (é uma rocha sedimentar), carvão mineral, esfarelita (zinco e latão), bauxita (alumínio e latão), galena (chumbo e prata), caolim (cerâmica, porcelana), talco (talco), enxofre (ácido sulfúrico e explosivos), willemita (zinco e remédios), magnetita (imã), fluorita (pasta de dente), calcita (giz de lousa), cristais de sal (sal de cozinha), ouro, rubi, esmeralda, diamante, mica (isolantes, filamentos de lâmpadas), quartzo (vidro), argilito (argila), gipsita (cimento), calcário (cal), etc
- Responder a tabela:
Recursos Minerais Presentes na Sala de Aula
MATERIAL
MATÉRIA-PRIMA
RECURSOS MINERAIS
Lousa ou Quadro-Negro


Giz de Lousa


Caderno


Caneta


Lápis


Forro


Telhado


Carteira Escolar


Portas e Janelas


Piso




AULAS 4 e 5: MINÉRIOS e RECICLAGEM
- Todas as sociedades utilizarão minerais, algumas mais e outras menos. A sociedade capitalista depende cada vez mais de minerais, porque é altamente tecnológica e consumista. Mineral é matéria-prima na produção capitalista sempre será utilizada.
- Com a sociedade capitalista, os recursos minerais estão cada vez mais escassos.
- Recursos minerais não são recursos naturais não-renováveis, pois demoram milhões de anos para se formar e podem acabar à curto prazo.
- Entretanto, os minérios podem ser reciclados. A reciclagem é importante porque não destrói a natureza (não degrada ambientes) para se extrair mais.
- Para as empresas capitalistas é mais rentável economicamente abrir novas jazidas de exploração de minérios do que reciclar, pois significa maior aquecimento no mercado.
- A extração e o Consumo de minérios são desiguais. É o caso do Brasil (possue muitas jazidas de vários minérios e não possui indústrias siderúrgicas e metalúrgicas na mesma quantidade) e do Japão (não possui jazida de quase nenhum minério, mas possui inúmeras indústrias siderúrgicas e metalúrgicas).

AULAS 6, 7, 8, 9 e 10: CARVÃO MINERAL
- É uma mineral cuja formação se dá pela sedimentação de matéria orgânica em áreas de antigos rios. É um hidrocarboneto sólido, encontrado em cavidades ou depressões preenchidas por sedimentos.

- Locais de jazidas: Alemanha, França, Reino Unido, China, Rússia, EUA, etc.
- Importância econômica: uso industrial e residencial (por ter alto valor calórico), tendo significativo destaque durante a Primeira Revolução Industrial.
- Poluição do ar na sua queima e destruição do solo na sua extração.

 >Passar filme “Germinal”.
- Alunos responderão questionário:
1)    Como eram as condições de trabalho na mina de Carvão Mineral do Filme?
2)    Qual a viabilidade econômica do Carvão Mineral? Diferencie este minério com o Carvão Vegetal?
3)    Qual foi a importância deste minério para a sociedade capitalista que estava em sua fase industrial?
4)    Como viviam os burgueses e os proletários no filme? Havia harmonia entre eles?
5)    Porque os mineiros se revoltaram?

AULAS 11 e 12: PETRÓLEO
- É um hidrocarboneto liquido que ocorre naturalmente nos interstícios das rochas sedimentares e porosas (como fica a água numa esponja).
- É uma rocha Sedimentar.
- A formação se dá pela sedimentação de matéria orgânica em áreas de ação tectônica.
- Locais de jazidas: Golfo Pérsico, Golfo do México, Golfo de Maracaibo, mOntes Urais na Rússia, Pré-Sal Brasileiro, etc.
- Curiosidades: 1º Poço de Petróleo furado (EUA, 1859), 1º Motor à Explosão (1883), 1 Barril de Petróleo possui 159 litros.
- Poluição do ar na sua queima e destruição do solo na sua extração.
- Importância econômica: facilidade no transporte, alto valor calórico para uso industrial e residencial (aonde 1 TONELADA de Petróleo = 1,5 TONELADA de Carvão Mineral), seus derivados.
- Craqueamento do Petróleo e seus Derivados:


AULAS 13, 14, 15, 16 e 17: GEOPOLÍTICA DO PETRÓLEO
- Até a década de 1960, quem dominava todas as etapas da produção-extração-transporte do petróleo, além da definição dos preços do barril do petróleo eram as “7 IRMÃS” (TEXACO, EXXON, MOBIL OIL, SHELL, GULF OIL, STANDAT OIL OF CALIFORNIA, BRITISH PETROLEUM). Estas empresas eram importantíssimas para países do centro de controle do capitalismo (caso dos EUA).
- Quando a OPEP (Organização dos Países Produtores de Petróleo) é criada em 1960 os EUA diminuirão seu monopólio e os países produtores de petróleo farão um aumento do preço do barril do petróleo (para acima de 30 dólares), criando a primeira Crise do Petróleo Mundial.
> Atuais Membros da OPEP: Angola (janeiro de 2007), Argélia (julho de 1969), Líbia (dezembro de 1962), Nigéria (julho de 1971), Venezuela (setembro de 1960), Equador (de 1973 até 1992, retornou como membro em dezembro de 2007), Arábia Saudita (setembro de 1960), Emirados Árabes Unidos (novembro de 1967), Irã (setembro de 1960), Iraque (setembro de 1960), Kuwait (setembro de 1960), Catar (dezembro de 1961). Os Ex-Membros da OPEP são Gabão (de 1975 a 1994) e Indonésia (de 1962 a 2009).
- Descoberta de novas jazidas de petróleo e de fontes de energias alternativas (década de 1980, redução do barril do petróleo para 25 dolares). O medo do petróleo acabar (fim dos anos 1970 e começo dos anos 1980, aumento do preço do barril do petróleo para acima de 30 dólares).

- A partir das décadas de 1970-80 teremos crises cíclicas de disputas de locais de exploração do petróleo:
- REVOLUÇÃO ISLÂMICA DO IRÃ (1979) = o pró-ocidente Xá Reza Pahlev é deposto pela revolução islâmica, comandada por Aiatolá Khomeine.
- GUERRA IRÃ-IRAQUE (1980-88) = com a revolução islâmica no Irã o Ocidente tem grandes prejuízos financeiros (principalmente os EUA) e financia o vizinho Iraque para derrotar o Irã. O Iraque cujo líder era Saddam Hussein, foi financiado com armas, dinheiro e apoio político na ONU, mas esta guerra não teve vencedores e a crise persistiu. Barril do petróleo aumentou para 36 dólares.
- GUERRA AFEGANISTÃO-URSS (década de 1980) = com o enfraquecimento da URSS o Afeganistão (com apoio do Ocidente capitalista) começou a deixar de ser “comunista”. Os guerrilheiros “Mujaidins” e os “Talebans” começaram a ser financiados com armas, dinheiro e apoio político principalmente pelos EUA.
- GUERRA DO GOLFO (1992) = o Iraque de Saddam Hussein torna-se muito poderoso regionalmente (tanto militarmente quanto economicamente) e começa a ter ambições expansionistas, invadindo o Kwait (que sempre foi um aliado-quintal dos EUA). Os EUA invadem o Kwait com a intenção de desanexar este país dos iraquianos, fato que conseguirá rapidamente.
Descoberta de Novas fontes de energia diminui preço do barril do petróleo para 25 dolares.
- GUERRA DO AFEGANISTÃO (2001-2002) = depois do “Atentado Terrorista das Torres Gêmeas de Nova Iorque no dia 11 de Setembro de 2001”, os EUA inventam a desculpa de invadir o Afeganistão para matar ou prender Osama Bin Laden, a “Al Qaeda” e os “Talebans”. Não consegue o objetivo divulgado, mas derruba os “Talebans” do poder político deste país, colocando um aliado como presidente. O Afeganistão é um dos maiores produtores de petróleo e de gás natural do mundo (local aonde passa importantes gasodutos vindo da Rússia e Ucrânia). Até hoje existe uma ocupação militar dos EUA neste país.
- GUERRA IRAQUE-EUA (2004) = depois do “Atentado Terrorista das Torres Gêmeas de Nova Iorque no dia 11 de Setembro de 2001”, os EUA inventam a desculpa de invadir o Iraque para matar ou prender Saddam Hussein. Conseguem o que queriam, matam Saddam Hussein e colocam um aliado como presidente. O Iraque é um dos maiores produtores de petróleo do mundo. O preço do Barril do petróleo aumentou para mais de 100 dolares.
- Atualmente temos muitas Revoltas e Guerras-Civis nos países produtores de petróleo (incentivados por vários países capitalistas): Ucrânia, Irã, Iraque, Afeganistão, Síria, Líbia, Líbano, etc.
>- Sugestão de filme: “11/09 - Fahrenheit”
Exercícios do Filme:
1- Como G. W. Bush convenceu os estado-unidenses à começarem as Guerras contra Iraque e Afeganistão?
2- Quais foram os reais motivos destas guerras?
3- A geopolítica do petróleo foi mudada com estas guerras?
4- Quais são as conseqüências negativas para o meio ambiente da excessiva extração de minérios e petróleo?
5- Porque a sociedade industrial é muito dependente das fontes de energia? Qual a importância das fontes de energia?
6- Quais são as vantagens e as desvantagens da utilização do petróleo e do carvão mineral?
7- No que o aumento do preço do barril do petróleo interferiu no uso das fontes de energia mundial?
8- Você acredita que o petróleo poderá ser totalmente substituído?
9- Porque o petróleo é um produto tão importante em nossa sociedade? Cite 2 derivados que você utiliza em seu cotidiano?
10- Quais são os motivos que levaram a criação da OPEP?

Exercícios Filme "GERMINAL"


 Passar filme “Germinal”.

- Alunos responderão questionário:

1)    Como eram as condições de trabalho na mina de Carvão Mineral do Filme?
2)    Qual a viabilidade econômica do Carvão Mineral? Diferencie este minério com o Carvão Vegetal?
3)    Qual foi a importância deste minério para a sociedade capitalista que estava em sua fase industrial?
4)    Como viviam os burgueses e os proletários no filme? Havia harmonia entre eles?
5)    Porque os mineiros se revoltaram?

Exercícios do Filme “11/09 - Fahrenheit”

Exercícios do Filme “11/09 - Fahrenheit”:

1- Como G. W. Bush convenceu os estado-unidenses à começarem as Guerras contra Iraque e Afeganistão?
2- Quais foram os reais motivos destas guerras?
3- A geopolítica do petróleo foi mudada com estas guerras?
4- Quais são as conseqüências negativas para o meio ambiente da excessiva extração de minérios e petróleo?
5- Porque a sociedade industrial é muito dependente das fontes de energia? Qual a importância das fontes de energia?
6- Quais são as vantagens e as desvantagens da utilização do petróleo e do carvão mineral?
7- No que o aumento do preço do barril do petróleo interferiu no uso das fontes de energia mundial?
8- Você acredita que o petróleo poderá ser totalmente substituído?
9- Porque o petróleo é um produto tão importante em nossa sociedade? Cite 2 derivados que você utiliza em seu cotidiano?
10- Quais são os motivos que levaram a criação da OPEP?

Mapa de importação e exportação de petróleo ao redor do mundo


 Mapa de importação e exportação de petróleo ao redor do mundo

Fonte: http://www.hypeness.com.br/2013/11/veja-uma-lista-de-25-mapas-que-nao-nos-ensinam-na-escola/

Frequência de relâmpagos ao redor do mundo


Frequência de relâmpagos ao redor do mundo
Fonte: http://www.hypeness.com.br/2013/11/veja-uma-lista-de-25-mapas-que-nao-nos-ensinam-na-escola/

O mundo dividido em 7 Regiões, cada uma com 1 bilhão de habitantes


O mundo dividido em 7 Regiões, cada uma com 1 bilhão de habitantes

Fonte: http://www.hypeness.com.br/2013/11/veja-uma-lista-de-25-mapas-que-nao-nos-ensinam-na-escola/

Mapa de Terremotos desde 1898



 Mapa de Terremotos desde 1898

Fonte: http://www.hypeness.com.br/2013/11/veja-uma-lista-de-25-mapas-que-nao-nos-ensinam-na-escola/

Os 7.000 rios que alimentam o Rio Mississipi


Os 7.000 rios que alimentam o Rio Mississipi
Fonte: http://www.hypeness.com.br/2013/11/veja-uma-lista-de-25-mapas-que-nao-nos-ensinam-na-escola/

Mapa do Consumo de álcool mundial

Mapa do Consumo de álcool mundial


Fonte: http://www.hypeness.com.br/2013/11/veja-uma-lista-de-25-mapas-que-nao-nos-ensinam-na-escola/

MAPA - Período de Licença Maternidade nos países


Período de Licença Maternidade nos países (salta a vista o fato de nos EUA não existir esse Período de Licença)

Fonte: http://www.hypeness.com.br/2013/11/veja-uma-lista-de-25-mapas-que-nao-nos-ensinam-na-escola/

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

ENTREVISTA sobre JORNADAS de JUNHO 2013 e POLÍTICA BRASILEIRA

repasso ENTREVISTA que eu respondi à uma ex-aluna Kelly (que faz faculdade hoje) sobre JORNADAS de JUNHO 2013 e POLÍTICA BRASILEIRA.




_____
Dados do Entrevistado
Nome: Wladimir Jansen Ferreira.
Profissão: Professor.
Formação: Superior Completo (Bacharelado e Licenciatura em Geografia) e Pós-Graduação em “Ensino de Geografia”.
Tempo de trabalho: cerca de 10 anos (somando tempo em cursinho popular de 2003 à 2005 + rede estadual de São Paulo de 2006 à 2014 + rede municipal de São Paulo de 2012 à 2014).
Idade: 32 anos.

Perguntas:

As manifestações e reivindicações
1)    Em sua opinião, o que aconteceu para que mais de 1 milhão e meio de pessoas, em mais de 100 cidades brasileiras, saíssem às ruas protestando em meados do ano passado?
A busca por direitos e melhorias nas condições de vida das pessoas foram os principais motes para as “jornadas de junho de 2013”.
Combinado à isso, importante destacar que o enfraquecimento político das “esquerdas” contribuiu para a forma horizontal,  a não clareza nas pautas das passeatas e a desorganização dos atos.
Pela primeira vez em mais de 40 anos, uma passeata popular não foi organizada pela esquerda, pois o seu principal representante (PT) distanciou-se enormemente de suas bases e dos movimentos sociais, preocupando somente com a reprodução do “poder pelo poder”.
Esta ausência da presença das esquerdas na organização dos atos se refletiu na extrema horizontalidade destes. Apesar do “Movimento Passe-Livre” (MPL) ter sido fundado por militantes petistas, estes estavam distantes do MPL e da organização de outras lutas dos movimentos sociais.
Se houvesse a presença da esquerda no comando das passeatas, certamente não veríamos a infiltração de movimentos fascistas, a disseminação de pautas (algumas sem sentido ou vagas, como o da “corrupção”) ou a falta de comando das passeatas (que não tinham trajetória definida, etc).

2)    Os movimentos em São Paulo inicialmente se colocaram contra o aumento da tarifa do transporte, mas muito rapidamente outras questões foram discutidas e tidas como motivos de protesto, que ganharam força não somente em SP como em várias outras cidades do Brasil. O que você acredita que trouxe esses assuntos à tona?
A disseminação de pautas foram resultados da desorganização dos atos, da falta de centralização destes e do enfraquecimento da esquerda brasileira.
Entretanto, as pautas dos atos refletem algumas demandas na vida da população brasileira. Importante destacar que quem foi à rua, na sua maioria, foi a classe média das grandes cidades, cujas algumas das pautas levantadas não representam a totalidade de interesses da classe trabalhadora de periferia (a maioria da população).
Algumas pautas são de comum acordo para a população brasileira, como a melhoria do transporte e na educação, mas não havia consenso de como se atingiria isso ou uma simples proposta de soluções. Não havia um comando das mobilizações e isso refletiu no enfraquecimento desta.

O uso das redes sociais
Para você, qual foi a importância das redes sociais nesse processo?
Antigamente, as esquerdas centralizavam e horizontalizavam  a chamada dos atos, mas pelos enfraquecimento das esquerdas (já falado acima) e o surgimento da internet como importante instrumento de comunicação, as redes sociais tomaram uma importância muito grande.
Entretanto, a Internet ou as redes sociais não foram responsáveis pela eclosão das “jornadas de junho de 2013”, mas ajudou a potencializar as mobilizações.


A cobertura da mídia
1)    Qual foi a postura da mídia, das grandes emissoras, ao cobrir esses movimentos?
A postura da “grande mídia burguesa” foi oportunista e parcial, pois criticaram muito no seu início, dizendo que “atrapalhava o trânsito” e que “os manifestantes eram vândalos”.
A partir do momento que a “grande mídia burguesa” percebeu que os atos eram desorganizados (não tendo centralização da esquerda no comando) e que se abria a possibilidade para a direita se infiltrar, começou-se a apoiá-los e a se tentar realizar um desgaste do governo federal. Um grande exemplo disso é o Arnaldo Jabor da Rede Globo, que criticou muito no seu início e depois vociferava pela defesa dos “atos  contra o governo federal”.
Já a mídia mais independente foi mais verdadeira com os fatos e cobriu as “jornadas de junho de 2013” de maneira idônea.

2)    Porque a imprensa recebeu tantas críticas do público? A queima de veículos pertencentes às grandes emissoras pode ser considerada um ato contra uma possível parcialidade dos meios de comunicação na abordagem dos acontecimentos?
É uma questão de luta de classes sociais, pois a “grande mídia burguesa” representa seus interesses e sempre tentará desgastar o outro lado.
A queima de veículos da “grande mídia burguesa”foi um protesto legítimo, pois foi um protesto contra a suposta “imparcialidade” destes e uma legítima crítica dos opositores desta classe social. A ausência de vandalismo em veículos da imprensa independente é o sintoma de que esta ação era direcionada para um setor da mídia.

3)    Houve favorecimento da imprensa às bandeiras que eram defendidas nos movimentos?
A “grande mídia burguesa”tentou manipular a opinião pública e a defesa de pautas nas “jornadas de junho”. Um grande exemplo disso foi a pequena cobertura nos atos contra “homofobia e racismo” e a defesa reacionária da retirada da PEC 37 (que era altamente progressista).

4)    As coberturas dos movimentos podem ser consideradas sensacionalistas?
O sensacionalismo é uma nefasta estratégia que a mídia faz para se chegar às pessoas de maneira alienada. Quanto menos consciência e mais alienação trouxer às pessoas , mais fácil será a manipulação das informações e das pessoas.

5)    A impressa teria tentado não expor a grandiosidade dos movimentos, errando números e dando foco aos casos de violência/depredações e furto, com o intuito de abafar os movimentos e as reais reivindicações? Se sim, quais teriam sido os motivos?
A partir do momento que o movimento estava se enfraquecendo e as esquerdas começaram a se organizar para tentar dar uma verticalizada nos atos, a “grande mídia burguesa”começa a desqualificar o movimento e a focar somente coisas negativas.
Quando a “grande mídia burguesa” tira o foco das pautas e bandeiras de luta para falar de “violência e depredação” é para despolitizar o grande público. A alienação da população é o grande mote.

O posicionamento do Governo
1)    Você acredita que o governo respondeu à altura? O posicionamento da presidente Dilma foi adequado?
A presidente Dilma acabou injustamente sendo responsabilizada por todas as desigualdades do Brasil. A responsabilidade da maioria das reivindicações estavam com os governos municipais (caso do aumento da passagem em São Paulo) e dos governos estaduais (como a questão da segurança, etc).
O governo federal através do PT começou a botar a sua militância nas ruas e de volta nos movimentos sociais, pois, somente assim, para se ouvir os anseios populares. Entretanto, ainda está muito tímido a retomada do PT nos movimentos sociais, necessitando uma mudança interna brusca no partido.
O governo de Dilma Roussef foi inadequado, pois foi insuficiente. Este sinalizou algumas coisas questionáveis, como o aumento das verbas da educação e saúde (na destinação dos royalties do pré-sal, pois é somente 10%, sendo o 90% restante para as grandes empresas transnacionais), a ampliação de programas sociais reformistas (como o “Bolsa Família”, “Minha Casa, Minha Vida”) e a criação de alguns novos programas sociais (como os “Mais Médicos”).

2)    Na época, o cenário político esteve abalado? O PT e a presidenta Dilma Rousseff caíram no conceito dos eleitores? Se sim, o que, na sua opinião, teria levado, ainda assim, a reeleição do governo vigente na época?
A reeleição de Dilma Roussef se deu pela rejeição de Aécio Neves e do PSDB pela maioria da população brasileira. Apesar dos programas de governos do PT e do PSDB se assemelharem muito (e na prática também), a candidatura de Dilma representava interesses da classe trabalhadora e a candidatura de Aécio sinalizava perdas para a classe trabalhadora.

Os resultados
3)    Houve algum tipo de mudança após as manifestações? Você conseguiu perceber alguma mudança no governo ou nas atitudes dos governantes?
Muitas coisas positivas surgiram das “jornadas de junho de 2013”, como o fim do "imobilismo apático" do brasileiro (principalmente de sua juventude), uma consciência política em seus participantes (que poderia ser melhor se houvesse mais organização no movimento), uma pressão-choque nos políticos brasileiros que devem governar para o povo, uma reorganização das esquerdas para as bases, etc.
Os governos tiveram que ceder e realizar concessões para a população, mas isso não é garantia que seja para sempre, pois pode ser momentânea. Cabe à população se mobilizar e pressionar os governos para conquistar seus direitos.

4)    Houve melhorias na saúde, educação, segurança, corrupção? As mudanças foram atendidas? A diminuição do valor do transporte para R$3,00 teria sido a solução?
Houve algumas concessões, mas muito tímidas.
A simples redução da tarifa do transporte não foi a solução. A luta deveria caminhar para a valorização do "transporte coletivo-público de qualidade" e outras coisas importantes, tais como “a necessidade de se taxar os ricos”;“a necessidade de se taxar o transporte individual para valorizar o coletivo-público”; “necessidade de superação da lógica de direcionamento de verbas no Brasil que privilegia o capital especulativo”. 
Deve-se questionar “as contradições centro-periferia em  metrópoles como a de São Paulo”. É necessário trazer mais empregos, redes de serviço, opções de lazer e infra-estrutura na periferia, pois está quase tudo concentrado na região central. Temos de levar a "periferia para o centro", mas temos que levar "infra-estrutura para a periferia" sem isto significar especulação imobiliária (com supervalorização do preço dos terrenos/IPTU e aluguéis). Precisamos superar e enterrar a lógica capitalista de especulação imobiliária.
O movimento do passe-livre é importante, pois sinaliza uma superação das contradições da sociedade capitalista, mas é preciso politizar mais para que alcancemos isso.

5)    Você acredita que novas manifestações possam ocorrer em breve? O Gigante teria “adormecido novamente”?
O Gigante nunca adormeceu, pois os movimentos populares estão nas ruas com suas demandas à décadas. Espero que novas “jornadas de junho” ocorram, mas que sejam organizadas e massivas.

6)    Quais são as suas expectativas para o Brasil nos próximos 4 anos, levando em consideração todos os movimentos, a recente eleição e os conflitos debatidos? O país de fato estaria dividido em dois?
O Brasil sempre esteve dividido em dois, o da burguesia e o da classe trabalhadora.
É fato que não é de hoje que o PT se afastou dos movimentos sociais e de suas bandeiras históricas de defesa da classe trabalhadora.
Também é fato que o PSDB representa a burguesia em sua plenitude, o neoliberalismo violento, que não tem pudor em arrochar e tirar os direitos da classe trabalhadora.
A eleição de Lula em 2002 significou uma crise de esgotamento do neoliberalismo tucano e significaria conquistas para a classe trabalhadora. Entretanto, os 12 anos de governos do PT no governo federal significou a introdução da vergonhosa "frente popular", que significa uma derrota para a classe trabalhadora.
Esta "frente popular" continua governando para a burguesia e dá algumas concessões para a classe trabalhadora.
A quase eleição de Aécio Neves, significa que estamos tendo agora uma crise de esgotamento da "frente popular" petista. O capitalismo necessita crescer mais e a burguesia necessita enriquecer mais. Para isso ela quis acabar com a "frente popular" e colocar um "governo burguês puro" (na figura de Aécio Neves). A eleição de Aécio Neves seria um desastre para a classe trabalhadora, porque ele iria atacar os direitos dos trabalhadores e arrocharia seus salários, para poder aumentar o lucro do capital.
Dilma Roussef e PT tem que compreender que o povo deu a resposta nas ruas. Não queremos mais perda de direitos da classe trabalhadora e queremos mais conquistas. Chega de política de conciliação de classes! Chega de  "frente popular"! Rompa imediatamente com a burguesia! Faça uma política de frente única com os setores progressistas da classe trabalhadora sem a presença de partidos burgueses e sem perdas para o proletariado!