Total de visualizações de página

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Sequência de AULAS sobre GEOGRAFIA da AMÉRICA

Sequência de AULAS sobre GEOGRAFIA da AMÉRICA (pode ser para SÉTIMO ou OITAVO ANO do ENSINO FUNDAMENTAL)

Aulas 1, 2 e 3: Localização, Orientação e Referência.

Exercícios de Lateralidade, Localização e Referência (http://profwladimir.blogspot.com.br/2014/02/exercicios-de-lateralidade-localizacao.html)

Exercícios de localização/orientação/referências (http://profwladimir.blogspot.com.br/2012/05/exercicios-de-localizacaoorientacaorefe.html)

Aula 4: Linguagem dos Mapas.

Aulas 5, 6 e 7 Continentes e Oceanos (com mapa).
 Continentes e Oceanos - texto e mapa (http://profwladimir.blogspot.com.br/2014/04/continentes-e-oceanos-texto-e-mapa.html)

Aula 8: Mapas e Feudalismo.
http://profwladimir.blogspot.com.br/2013/04/mapas-e-feudalismo.html
http://profwladimir.blogspot.com.br/2014/03/exercicios-com-mapas-teologicos.html

Aulas 9, 10 e 11: Origem dos Povos Americanos (com mapa).
- A América foi o último continente à ser povoado por seres humanos, há cerca de 50 mil anos e os povos nativos deste território são provenientes de 2 lugares:
- Ásia = quando houve uma intensificação de uma glaciação (entre 50mil-40 mil anos atrás e entre 28mil-10mil anos atrás), os asiáticos (de origem mongolóide, esquimó e amurianos do Cáucaso) atravessaram o “Estreito de Bering” à pé para o continente americano e aos poucos foram se espalhando pelo continente.
- Oceania = são de origem tasmanóide, australóide, melanesóide, proto-indonésio e indonésio. Vieram de navios e se instalaram principalmente na região da Patagônia na América do Sul.
- Estes primeiros povos nativos eram nômades, caçadores-coletores, não praticavam agricultura e nem domesticavam animais, possuíam ferramentas e armas de pedras e ossos.
- Realização do Mapa das Origens dos Povos Americanos (http://profwladimir.blogspot.com.br/2014/04/atividade-com-mapa-origem-dos-povos.html)

Aulas 12 e 13:Povos Pré-Colombianos na América (com mapa).
- Podemos impactar passando estas frases e textos impactantes sobre a Colonização na América: http://profwladimir.blogspot.com.br/2014/04/frases-impactantes-sobre-colonizacao-na.html

- Antes dos europeus chegarem ao continente americano em 1492, viviam cerca de 14 milhões de pessoas ou 70-80 milhões de pessoas (existem 2 teorias):
TEORIA 1: (ROSENBLAR, Angel. La Población indígena y El mestizage em América, v. I., La Población indígena, 1492-1950, Buenos Aires, Ed Nova, 1954).
América do Norte (ao Norte do Rio Grande)
1.000.000
México, América Central e Antilhas
5.600.000
México
4.500.000

Haiti e São Domingos
100.000

Cuba
80.000

Porto Rico
50.000

Jamaica
40.000

Pequenas Antilhas e Bahamas
30.000

América Central
800.000

América do Sul
6.785.000
Colômbia
850.000

Venezuela
350.000

Guianas
100.000

Equador
500.000

Peru
2.000.000

Bolívia
800.000

Paraguai
280.000

Argentina
300.000

Uruguai
5.000

Brasil
1.000.000

Chile
600.000

População total
13.385.000

TEORIA 2: (RIBEIRO, Darcy. As Américas e a Civilização, 3ª Ed., Petrópolis, Vozes, 1979, p.108).
Áreas
População (em milhões)
México Central
25 a 37
América Central
10 a 13
Área Andina
30 a 37

- Após 150 anos de colonização européia a população da América foi reduzida para 3,5 milhões de habitantes.
- Foi um extermínio brutal e violento, com assassinatos, guerras, epidemias e pestes (varíola, tifo, caxumba, lepra, febre amarela, malária, enfermidades pulmonares, afecções intestinais, etc) e escravidão.
- Após a escravidão indígena, os europeus escravizarão os negros africanos, atendendo aos interesses da metrópole, Igreja Católica, traficantes e comerciantes.
- Restam poucos indígenas no continente americano, sendo que já estão mestiçados e aculturados, onde os poucos estão isolados em reservas (sendo mortos por grileiros, mineradores, grandes pecuaristas e agricultores).
- É necessário que se distinga 3 tipos de sociedades viventes no continente americano antes dos europeus aportarem:
1) Sociedades de Caçadores e Coletores = das etnias (jês, botocudos, patagões, comanches, cheyenes, atabascos, esquimós, etc); viviam de caça de animais e coleta de frutas-legumes-verduras nas florestas; possuíam organização social simples; sem classes sociais.
2) Sociedades de Agricultura de Subsistência = das etnias (tupis-guaranis, aruaques, caribes, chibchas, araucanos, mapuches, iroquenses, algonquianos, huronianos, tainos, seminoles, cheroquis, pueblos, etc); praticavam agricultura de subsistência (mandioca, milho, feijão, amendoim, tabaco, batata-doce, cará, abóbora, pimenta, guaraná, mate, cabaças, etc) e ainda praticavam caça-pesca-coleta; pequena utilização de técicas agrícolas (irrigação, enxadas de pau, etc); possuíam organização social simples; sem classes sociais; coletivistas.
3) Sociedades Avançadas com Produção Agrícola Excedente = das etnias (astecas, maias e incas); complexidade na organização política-social-administrativa-cultural; teocráticos (autoridade emana dos deuses, onde deus é exercido por representantes na Terra); agricultura desenvolvida (com muitas técnicas como irrigação, plantio em terraços nas vertentes de montanhas, ferramentas e grande produção com excedente); excedente agrícola permitiu o surgimento de outras profissões (oleiros, tecelões, engenheiros, astrônomos, sacerdotes, administradores, artesãos, escultores, mineradores, mercadores, educadores, classe dirigente, etc).
> Mapa dos Povos Pré-Colombianos na América (http://profwladimir.blogspot.com.br/2014/04/mapa-dos-povos-pre-colombianos-na.html)


Aulas 14 e 15Mapa dos Povos Indígenas no Brasil antes do século XVI.
http://profwladimir.blogspot.com.br/2013/05/atividade-mapa-povos-indigenas-no.html

Aulas 16 e 17Povos Indígenas no Brasil.

- A população indígena foi amplamente exterminada pelos conquistadores europeus, caindo de uma população de cerca de 4 milhões na era pré-colombiana (em mais de 2 mil tribos ou nações) para cerca de 315.000 atualmente, agrupados em cerca de 206 tribos diferentes e em 562 terras indígenas.
- Este número pode ser muito maior se as populações urbanas indígenas forem consideradas em todas as cidades brasileiras atuais e se somar as 67 diferentes tribos isoladas no Brasil.
- No último censo do IBGE (2010), 817.000 brasileiros se classificaram como indígenas, embora milhões de brasileiros tenham ascendência ameríndia.
- A FUNAI divulgou as tribos com o maior número de integrantes, são elas:
ETNIAS INDÍGENAS
NÚMERO DE INTEGRANTES
Ticuna
35.000
Guarani
30.000
Caingangue
25.000
Macuxi
20.000
Terrena
16.000
Guajajara
14.000
Xavante
12.000
Ianomâmi
12.000
Paxató
9.700
Potiguara
7.700
- Os indígenas estão concentrados, em sua maioria (70% do total) numa parcela da Amazônia Legal que engloba seis Estados: Amazonas, Acre, Roraima, Rondônia, Mato Grosso e Pará. Temos a seguinte distribuição da população indígena por estado:
ESTADOS
POVOS/NAÇÕES INDÍGENAS
Amazônia
48
Mato Grosso
32
Pará
27
Rondônia
22
Acre
11
Roraima
9
Bahia e Maranhão
8
Pernambuco
7
Alagoas, Ceará e Mato Grosso do Sul
6
Amapá
5
Minas Gerais e Tocantins
4
São Paulo
3
Rio Grande do Sul, Goiás, Santa Catarina e Espírito Santo
2
Sergipe e Paraíba
1

- As Contribuições Culturais dos Indígenas no Brasil são muitas: a domesticação de várias plantas nativas (como o milho, a mandioca, o palmito de pupunha, o tabaco, o guaraná, o açaí, a jabuticaba, a pitanga, a erva-mate, a batata-doce, a pimenta, o amendoim, o mamão, o algodão, o caju, a abóbora, o feijão, o abacaxi, o maracujá, a goiaba, o cacau, o cará, o pinhão, a mangaba, o cajá, o umbu, o urucum, o jenipapo, o pequi, o jambu, o jatobá, o buriti, a carnaúba, a juçara, a, o araçá, o jerivá, a copaíba, a andiroba, o tucum, o tucumã, o cambuci, o tucum e o guaratá bravo, a peipeçaba (piaçava ou piaçaba, abajeru, amaitim, apé, araticum, azamboa, bacaba, bacupari, bacuri, caiuia, camboim, cambucá, camichã, curuanha, curuiri, guti, gravatá, grumixama, guajirí, guapuronga, embaúba, jataí, mocurí, mucujé, mundururu, murici, pajurá, penão, ubaia, ubucaba e umari), forte herança na culinária brasileira (pratos à base de mandioca/milho/guaraná/palmito: tais como pamonha e biju, outros à base de tartarugas e seus ovos: o arabu, o abunã, o mujanguê, o paxicá e outros à base de peixes (como a paçoca, o moquém, o piracuí, a moqueca indígena, o pirão e a mixira), objetos (uso de redes e jangadas, canoa, armadilhas de caça e pesca, casas de “pau-a-pique ou de taipa”, cestas de vime, a prática da peteca), costumes (como o banho diário e frequente, uso do tabaco, etc) e no vocabulário (em topônimos como Curitiba, Piauí, Arariba, Anhangabaú, Morumbi, Pacaembu, Embu, caju, jacaré, abacaxi, tatu, Janaína, Tainá, etc).

Aula 18 Grandes Navegações e Feudalismo
http://profwladimir.blogspot.com.br/2012/02/v-behaviorurldefaultvmlo.html

- Feudalismo se estende do século V (fim do Império Romano) até o século XVIII (Revolução Francesa).
- Os BURGOS eram a “cidade dos ricos”, pois lá teria muita infra-estrutura e de rede de serviços (castelo, exercito, comércio, igreja, etc). Neste local moravam o clero (padres e religiosos da Igreja Católica), a nobreza (reis e príncipes) e alguns burgueses (comerciantes).
- Os FEUDOS eram “a cidade dos pobres”, pois lá teria carência de infra-estrutura e de rede de serviços. Moravam alguns burgueses (comerciantes), mas principalmente o povo (servos). Era um ambiente rural, baseado na agricultura e pecuária. Quem morava no feudo tinha de entregar as riquezas para os moradores dos burgos (muitas vezes o povo se revoltava e fazia assaltos, como o caso de “Robbin Wood”).
- Organização Espacial do Feudalismo:

- A divisão de Classes Sociais no Feudalismo: CLERO, NOBREZA, BURGUESIA E POVO/SERVOS.
- O clero e a nobreza tinham o poder político na sociedade feudal, ou seja, mandavam e tomavam as decisões políticas.
- A burguesia e o povo eram deixados de lado no campo político, deixando-os muito insatisfeitos.
- A burguesia percebe que deve tirar o clero e a nobreza do poder político, ou seja, acabar com a sociedade feudal. Mas para isso acontecer ela tem de ter as “condições materiais e sociais”.
- A burguesia percebe que tem de juntar dinheiro para tal. Ela começa a intensificar o comércio, surgindo o “capital mercantil”.
- O período histórico aonde ela intensifica o comércio foram nas Grandes Navegações.

Aulas 19, 20 e 21: 
Mapa sobre as Grandes Navegações.
- Os alunos terão cerca de 2 aulas pra fazer individualmente o seguinte mapa:

1) Título: “Mapa das Grandes Navegações (séculos XII à XVII)”
2) Escala: 1: 30.000.000
3) Nome dos 5 Oceanos (pintar de azul depois)
4) Nome dos 5 Principais Paralelos
5) Legenda:
[] Índia e China
[] Espanha e Portugal
[] América
à Rota do Mar Mediterrâneo
à Rota do Marco Polo
à Rota do Colombo
àRota da Seda
0 Império Bizantino (séculos V à XVI)
0 Império Turco Otomano (séculos XVII à XX)

Aulas 22, 23 e 24: - Passagem de trechos do filme: “1492: a conquista do paraíso”.


Aula 25: Debate e Exercícios do Filme.
- Debate:
Contexto da “descoberta” da América = Império Bizantino toma a cidade de Constantinopla em 1453 e impede europeus de navegarem pelo mar Mediterrâneo e pelo mar Vermelho. A burguesia européia queria ir para Ásia (Índia e China) para comercializar (especiarias e ouro) e acumular capital mercantil (podendo mudar de sociedade).
- A Burguesia precisava ter dinheiro para ter as condições materiais de tirar o clero e a nobreza do poder político do feudalismo, começa a intensificar o comércio nas Grandes Navegações (Expansão Comercial-Marítimo).
- A burguesia começa a fazer comércio localmente, mas com as navegações ela expande territorialmente sua atuação, variando a quantidade de produtos a serem comercializados.
- Marco Pólo cria uma rota marítima que vai para a Ásia (especialmente para a Índia e à China). Esta rota marítima foi criada porque a “rota do mar Mediterrâneo e mar Vermelho” estava proibido pelos Mouros (Império Bizantino).
- Cristóvão Colombo assim como Marco Pólo (ou Bartolomeu Guimarães ou Vasco da Gama) eram comerciantes burgueses e queriam chegar à Ásia para fazer comércio.
- Cristóvão Colombo cria uma rota marítima diferente, pois achava que dava para alcançar a Ásia navegando para  o Ocidente (pelo Oceano Atlântico). Ele comprou uma briga com o Clero (que controlava o conhecimento na época) e quase foi pra fogueira (assim como Giordano Bruno, Galileu Galilei e Nicolau Copérnico).
- Depois de conseguir o apoio de banqueiros, burgueses e da rainha da Espanha, Colombo consegue navegar, descobrindo o continente América.
- Algumas pessoas dizem que Colombo não foi o primeiro não-americano à chegar à América, pois existem mapas chineses do século XVIII que mostram a costa brasileira (http://profwladimir.blogspot.com.br/2013/04/mapa-chines-de-1418-que-mostra-america.html), assim como mapas vickings da América do Norte. Os chineses tinham a frota marítima mais desenvolvida da época, tendo uma burguesia-navegadores-comerciantes que estavam prestes a tirar o clero-nobreza do poder. Entretanto isso não ocorre, pois o imperador da “Dinastia Ming” destrói todos os navios, constrói a Muralha da China e se fecha pro mundo até o século XIX (com a Guerra do Ópio, entre China e Inglaterra).
- Tivemos expedições espanholas no Brasil entre 1499 e 1500. Vejamos os mapas a seguir
- Os alunos se dividirão em grupos (de 2 à 4) e responderão à estas perguntas:
1) Porque Colombo resolveu fazer uma rota marítima diferente? O que ele teve de fazer?
2) Quem e o que Colombo teve de enfrentar para poder navegar? Porque?
3) De que países asiáticos saíam as mercadorias compradas pelos europeus?
4) O que realmente interessou Colombo e os burgueses europeus na América?
5) Explique o que Colombo e os burgueses europeus queriam fazer na Ásia e também com o ouro-prata dos indígenas americanos?

Aulas 26 e 27: Mapa das Colônias Européias na América
http://profwladimir.blogspot.com.br/2014/04/mapa-das-colonias-europeias-na-america.html


Aula 19: Colonização da América
- Colonização foi uma dominação política-econômica-cultural-religiosa e suas conseqüências foram: dilapidação de recursos naturais  das colônias, exploração  de mão-de-obra nativa, massacre de povos pré-colombianos, introdução do negro como mão-de-obra escrava, opressão política e religiosa, imposição do modo de vida europeu.
- Relação METRÓPOLE e COLÔNIA = metrópole explorava e retirava todas as riquezas de suas colônias, dentro das regras do “pacto colonial”.
- Os países europeus que colonizaram a América foram: Portugal, Espanha, Holanda, Inglaterra e França.

- PACTO COLONIAL = foi o conjunto de regras que regem o relacionamento entre as Metrópoles e suas colônias, também chamado “exclusivo comercial metropolitano”, que foi um sistema pelo qual os países da Europa que possuíam colônias na América, mantinham o monopólio da importação das matérias-primas mais lucrativas dessas possessões, bem como da exportação de bens de consumo para as respectivas colônias. O pacto colonial inclui obediência política, ou seja, as leis a serem obedecidas deviam ser as mesmas leis (ou adaptadas) da metrópole correspondente à colônia. O objetivo das autoridades reais era garantir que as atividades econômicas da colônia gerassem lucros para a metrópole. O pacto colonial limitava as atividades econômicas da elite colonial. Por um lado, os colonos só podiam vender sua produção a comerciantes legalizados pelas metrópoles, o que não garantia bons preços a eles. Por outro lado, a proibição de instalação de manufaturas nas colônias na América impedia a elite colonial de investir em outro setor de produção que não fosse o agrário, impedindo o desenvolvimento das colônias.

- Podemos dividir as colônias na América em dois tipos:
1- Colônias de exploração = que seguiram as linhas gerais do pacto colonial. São exemplos as colônias de portugueses e espanhóis na América, além de muitas colônias holandesas/francesas/inglesas na América. Elas apresentavam as seguintes características:
  • Produção agrícola baseada na grande propriedade (latifúndios ou enormes extensões de terra);
  • Ênfase na produção monocultora destinada ao mercado externo (produtos agrícolas e metais preciosos);
  • Economia dependente da metrópole, impedindo a formação de um mercado interno;
  • Grande utilização do trabalho escravo de indígenas e negros africanos.
2- Colônias de povoamento = as colonizações relativamente fora dos quadros do sistema colonial mercantilista. Foi o caso de algumas colônias inglesas (colonização desenvolvida no norte e no centro dos Estados Unidos pelos ingleses) e francesas (região do Canadá). Elas apresentavam as seguintes características:
  • Policultura com a produção agrícola baseada na pequena propriedade (minifúndios);
  • Desenvolvimento de produção manufatureira voltada para o mercado interno;
  • Grande autonomia política (self-government ou auto-governo) e econômica (com liberdade de comércio);
  • Utilização do trabalho livre.

> É importante ressaltar que mesmo em algumas “colônias de povoamento” havia características da “colônia de exploração” (tal como o trabalho escravo). 

           > Agricultura e Mineração na América Colonizada
http://profwladimir.blogspot.com.br/2014/04/agricultura-e-mineracao-na-america.html


____________________________________


Esta sequência de aulas continua com as diferentes colonizações no continente americano e aspectos físicos da América.

Nenhum comentário:

Postar um comentário